Os primeiros encontros podem ser tanto excitantes quanto estranhos, então qual é realmente a chave para ter um bom primeiro encontro e conseguir transformá-lo em um segundo? Isto é o que alguns pesquisadores queriam descobrir em um novo estudo publicado na revista científica Nature.

Estudando o que faz um ótimo primeiro encontro

Para realizar esta pesquisa, a equipe observou fatores fisiológicos e comportamentais durante o primeiro encontro de 46 pares heterossexuais. O estudo envolveu encontros rápidos, em um processo que tem como objetivo incentivar pessoas solteiras a conhecer um grande número de novos possíveis parceiros em um período muito curto de tempo, onde cada encontro durou cinco minutos.

Durante esses cinco minutos, as respostas fisiológicas dos participantes foram registradas por uma pulseira, assim como sua linguagem corporal e movimentos, como acenar com a cabeça ou mudar de posição.

Após os encontros, os participantes registraram o quanto estavam interessados ​​(romântica e sexualmente) em seus encontros.

O que eles descobriram

Com base nas descobertas, o que faz um primeiro encontro ser considerado bom ou ótimo é o quão bem ambas as pessoas envolvidas podem se “sincronizar” e “sintonizar” uma com a outra. Os pares que estavam mais sincronizados e sintonizados entre si eram mais propensos a relatar atração pelo outro.

“A sincronia é definida como a combinação de estados afetivos e ritmos biológicos no tempo para fins de regulação social”, escrevem os pesquisadores. “Enquanto a sincronia se refere à correspondência simultânea entre os parceiros, a sintonização se refere ao ajuste sequencial do comportamento em resposta ao parceiro.”

Espelhar a linguagem corporal um do outro é um bom exemplo de sintonização comportamental, e os pesquisadores descobriram que os pares que se sentiam mais atraídos um pelo outro até podiam até mesmo sentir seus sistemas nervosos se harmonizarem um com o outro.

Eles mediram isso através da atividade eletrodérmica de cada pessoa (características elétricas de sua pele). Eles também observaram que isso “reflete o nível de excitação e orientação da atenção”.

As mulheres foram mais afetadas pelos graus de sincronia, sendo mais atraídas por homens que apresentavam níveis mais altos de sincronia.

Os homens também foram afetados pelos graus de sincronia, mas não tanto quanto as mulheres.

Conclusão

Como os autores do estudo escrevem: “Quando um homem e uma mulher são altamente síncronos e sintonizados durante um encontro, seu interesse romântico e sexual mútuo também é alto. Isso fornece evidências de que a atração sexual e romântica em humanos envolve o ajuste social do sistema nervoso simpático e comportamentos motores.”

Vale a pena notar que esses achados foram baseados apenas em casais heterossexuais. Além disso, não está claro se a sintonização resulta em atração ou se a atração aumenta a sintonização.

De qualquer forma, a psicóloga e co-autora do estudo Shir Atzil, diz que os resultados indicam que a linguagem corporal é um poderoso sinal de atração, se não um catalisador para isso. “Conectar-se com um parceiro depende de quão bem podemos sincronizar nossos corpos”, diz ela em um comunicado à imprensa. “Nossa pesquisa demonstra que a sincronia comportamental e fisiológica pode ser um mecanismo útil para atrair um parceiro romântico”.

Então, o que isso significa para você, na prática?

Se você tem um primeiro encontro marcado, preste atenção à linguagem corporal do seu par durante o encontro e se você sente que está sentindo algo do mesmo nível. Se o seu par exibe uma linguagem corporal engajada e você sente uma certa sintonia em suas energias, parabéns. Isso é um sinal de que você pode ter um segundo encontro futuramente.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.