Sexo Bondage refere-se a uma forma de jogo sexual que envolve consensualmente amarrar ou restringir um parceiro em uma posição sexual para dar ou receber prazer sexual.

Bondage representa o B no BDSM, que compreende três elementos separados, mas combináveis: bondage e disciplina, dominação e submissão, sadismo e masoquismo. Alguns também podem se referir a isso como uma torção – um termo genérico para descrever comumente práticas sexuais que podem estar fora dos padrões normativos da sociedade.

O sexo bondage é uma atividade consensual que envolve o uso de restrições físicas para restringir a liberdade de movimento do parceiro. É uma forma de atividade sexual perfeitamente saudável e respeitosa, que a separa do abuso sexual e doméstico.

Está sob o guarda-chuva do jogo de poder, onde um parceiro assume um papel mais dominante durante o sexo, enquanto o outro assume um papel submisso. Embora isso assuma uma hierarquia de poder, é melhor caracterizar o sexo bondage como um diálogo aberto para negociar comportamentos e obter prazer mútuo a partir de estímulos físicos e psicológicos.

Este artigo define o sexo bondage, por que as pessoas gostam dele, benefícios e riscos potenciais e como realizá-lo com segurança.

Definição

O sexo bondage é uma forma de jogo sexual consensual e recreativo que envolve amarrar, restringir ou amarrar uma pessoa com corda, algemas ou outros itens que podem restringir o movimento. Além da restrição, o sexo bondage também envolve uma dinâmica de poder consensual entre um parceiro dominante e um submisso. No entanto, também é possível que uma pessoa pratique a auto-escravidão durante a masturbação.

Apesar de ser prevalente, o sexo bondage continua sendo um tópico estigmatizante – historicamente, as pessoas veem essa prática como subversiva, tabu e uma indicação de estar psicologicamente doente.

No entanto, houve uma mudança na narrativa nos últimos anos, e muitos especialistas agora veem as atividades consensuais de BDSM como uma forma relativamente comum e saudável de intimidade.

Por que as pessoas gostam?

Evidências sugerem que 58,9% dos homens e 54,4% das mulheres praticantes de BDSM listam o sexo bondage como uma de suas atividades favoritas de BDSM. Além disso, um estudo de 2015 investigando mulheres na comunidade kink acrescenta que bondage é uma atividade preferível, com mais de 85% de indivíduos que indicam que participam da escravidão por prazer sensual ou erótico.

Uma revisão sistemática de 2021 observa que as interações BDSM são complexas e vários processos psicológicos, sociais e biológicos podem influenciar esse comportamento sexual.

Uma revisão sistemática de escopo de 2019 sugere que permite que as pessoas afirmem o domínio, dando-lhes total controle e poder sobre a situação. Da mesma forma, um estudo de 2020 observa que muitos praticantes acham que dar, receber e trocar poder é sexualmente excitante.

Além disso, o estudo acrescenta que brincar com o poder interpessoal por meio da troca de poder por meio de contenção física é uma das razões mais comuns pelas quais as pessoas se envolvem em práticas de bondage. Outros observam que podem comparar bondage a uma forma erotizada de praticar a atenção plena, semelhante à meditação ou outras atividades gerais de lazer, pois permite que relaxem e pratiquem uma forma de atenção focada.

Um estudo de 2019 também acrescenta que os sistemas de dor e recompensa do cérebro podem influenciar por que as pessoas gostam de BDSM. Como o prazer e a dor podem ativar a mesma parte do cérebro, o envolvimento nessas práticas pode ajudar a aumentar o prazer.

Benefícios potenciais

Alguns benefícios possíveis podem incluir:

Aumenta o prazer

Evidências sugerem que participar de BDSM leva a um estado alterado de consciência chamado subespaço. As pessoas o descrevem como um estado flutuante e elevado que os submissos e receptores experimentam durante e após a peça.

Além disso, o uso de restrições pode produzir uma sensação de privação sensorial. Isso pode ajudar não apenas a aumentar a excitação de uma pessoa, mas também a aumentar a sensação dos sentidos restantes, o que pode aumentar o prazer.

Cria conexões mais profundas

O sexo bondage pode encorajar os casais a explorar seus desejos e fantasias. Ele depende de confiança e segurança. Essa sensação de vulnerabilidade que vem com a renúncia ao controle pode ajudar a desenvolver confiança e proximidade entre os parceiros. Praticar bondage também pode melhorar as habilidades de comunicação, incluindo negociação e assertividade.

Cura relacionamentos

Uma revisão de 2019 afirma que o BDSM pode oferecer um espaço seguro para pessoas que se curam de traumas, TEPT e abuso. Além disso, os terapeutas podem usar práticas como bondage como uma ferramenta para ajudar os casais que trabalham na dinâmica do poder. Isso pode ajudar os casais a renunciar e assumir o controle no quarto antes de fazê-lo em outras partes do relacionamento.

Melhora a saúde sexual e mental

Um estudo de 2019 descobriu que as pessoas que praticam BDSM têm menos problemas sexuais do que a população em geral. Além disso, em um estudo de 2015, os homens que realizam BDSM tiveram menor sofrimento no funcionamento sexual do que os não-BDSM.

Um estudo preliminar de 2016 observa que o BDSM consensual pode reduzir a ansiedade. Outro estudo sugere que o subespaço pode reduzir o estresse físico e emocional entre os parceiros receptores.

Possíveis riscos

As pessoas que praticam o sexo bondage podem estar em risco de lesões físicas. Em um estudo de 2016, mais de 70% dos participantes relatam pelo menos um acidente ao realizar uma prática de BDSM, sendo o hematoma a lesão mais comum. O estudo acrescenta que as lesões são mais comuns em quem usa drogas enquanto pratica sexo BDSM.

Resultados fatais também podem ocorrer durante a prática de BDSM. Uma revisão da literatura de 2021 observa que o estrangulamento é a causa mais comum de morte, e drogas ou álcool estavam envolvidos em 64% dos casos fatais de BDSM.

O consentimento écrítico dentro da comunidade BDSM para garantir a segurança física e emocional entre os praticantes. Isso é conhecido como Safe, Sane, and Consensual (SSC) e Risk-Aware Consensual Kink (RACK) em comunidades BDSM.

Os parceiros sexuais precisam dar seu consentimento explicitamente, definir claramente seus limites e negociar e discutir o que estão dispostos a fazer e o que está fora dos limites. Todas as partes também devem concordar com uma palavra de segurança, que se refere a uma palavra ou sinal que pode interromper instantaneamente o ato sexual. As pessoas também devem considerar ficar sóbrias enquanto praticam sexo para garantir a segurança dos envolvidos.

Como realizar

Abaixo estão dicas e técnicas que podem ser úteis para pessoas que estão considerando o sexo bondage.

Tenha bastante preparação

O retrato do BDSM na mídia é muitas vezes impreciso e às vezes muito extremo. Uma pessoa que planeja fazer sexo bondage em casa deve considerar participar de uma aula, ler livros ou conferir vídeos informativos on-line com antecedência.

Defina regras básicas e limites

Para se envolver em sexo bondage seguro e saudável, todas as partes devem discutir e negociar os limites e papéis de cada um e observar quaisquer atividades que estejam fora dos limites. Todos os participantes devem dar consentimento mútuo sobre o que cada um considera confortável e confiante para experimentar durante a sessão.

Concordar com uma palavra de segurança

Confiança, segurança e consentimento mútuo são os pilares do jogo de bondage. No entanto, as coisas podem aumentar rapidamente e pode ser difícil reconhecer se a outra pessoa está provocando ou pedindo honestamente para parar a peça. Uma palavra de segurança é qualquer frase ou ação que imediatamente sinaliza que o jogo sexual precisa parar. Pode ajudar a garantir que a atividade sexual permaneça segura, prazerosa e consensual.

Garanta sempre a segurança

Iniciantes devem tentar bondage com uma pessoa em quem confiam e nunca com um estranho. Uma pessoa deve verificar a segurança física e emocional de seu parceiro. Isso pode incluir perguntar se eles estão confortáveis ​​ou desenvolver uma sugestão não verbal, como um leve toque para comunicar prazer.

Familiarize-se com as restrições

Uma pessoa deve saber como tirar seu parceiro da restrição antes de usá-los. Os indivíduos podem manter um par de tesouras de segurança ou chaves de algema ao seu alcance, especialmente ao tentar posições de bondage mais difíceis.

As pessoas devem tomar as devidas precauções ao amarrar seu parceiro. Certifique-se de que não estão muito apertados para permitir a circulação adequada e nunca use restrições perto do pescoço, pois isso pode causar asfixia.

Vá com calma

A privação sensorial que vem com o uso de bondages pode ser inquietante para iniciantes. Os casais podem começar restringindo uma área, como os pulsos, e depois lentamente relaxando em restrições mais avançadas com base em sua confiança e conforto.

Adicione brinquedos, adereços e fantasias

As pessoas podem querer melhorar a experiência com a ajuda de fantasias, brinquedos e adereços. Deixar a imaginação correr solta também pode adicionar emoção e prazer.

Tenha um pós-atendimento

Os cuidados posteriores referem-se ao tempo que as pessoas levam depois de praticar sexo bondage para verificar as necessidades emocionais e físicas de uma pessoa. Certos atos sexuais podem ser física e psicologicamente desgastantes, por isso pode ser benéfico reservar um tempo para discutir os atos sexuais e fornecer segurança.

Conclusão

O sexo bondage refere-se à prática de contenção consensual durante o jogo sexual. Ele se enquadra no amplo espectro do BDSM e envolve uma dinâmica de poder, onde um indivíduo abre mão do controle e consensualmente permite que outra pessoa os amarre.

Muitas pessoas desfrutam da troca de poder durante essa atividade sexual, e as evidências sugerem que pode ser benéfico para a saúde física, mental e de relacionamento. No entanto, o ato vem com riscos e requer preparação e comunicação para realizar com segurança e permitir que todas as partes desfrutem da prática.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.