Uma das coisas mais comuns que as pessoas perguntam a um terapeuta especializado em relacionamentos é como começar a conversar com as pessoas em suas vidas. Sejam seus parceiros, chefes, amigos, pais ou qualquer outra pessoa que tenham alguma convivência, pode parecer complicado conversar sobre algo importante.

Como você deve começar a conversa? Como você expressa seus pensamentos e sentimentos de uma forma que não faça a outra pessoa se sentir mal? Como você expressa o que deseja sem apenas dizer: “Mude seu comportamento, obrigado!”

Bem, não procure mais. Temos uma solução para você.

Combinando algumas técnicas e teorias de comunicação, foi criada uma estrutura de quatro etapas para ajudá-lo a conversar com qualquer pessoa em sua vida. O acrônimo para esta estrutura é REO, que significa reconhecer, explicar e oferecer.

Preparado? Vamos lá.

Passo 1: Peça um tempo para conversar.

Inicialmente, vamos imaginar algumas situações.

Você estava lavando a louça e, de repente, seu parceiro vem até você e começa a falar sobre algo importante. Ou talvez você esteja no trabalho e seu chefe se aproxime e diz que quer falar com você. Ou você está no telefone com um membro da família, e ele lhe da uma noticia que te abala emocionalmente. Independente da situação, não é divertido ser pego de surpresa.

Costumamos falar sobre consentimento principalmente quando falamos sobre interações sexuais, mas acreditamos que o consentimento é igualmente importante quanto se fala em comunicação.

Vamos falar um pouco sobre o consentimento para conversas. Como isso se parece?

Aqui estão três exemplos:

  • “Ei, preciso falar com você. É sobre nossa vida sexual. Quando seria uma boa hora para conversar sobre isso?”
  • “Então, eu tenho pensado muito sobre nossa situação financeira e quero conversar sobre isso. Qual horário é melhor para você?”
  • “Estão havendo muitas mudanças aqui no escritório, e eu quero falar com você sobre algumas coisas que eu tenho pensado. Você tem algum tempo esta semana?”

Todos esses três exemplos permitem que a pessoa que recebe a informação decida quando é bom para ela entrar em um momento de conversa. Embora as informações fornecidas ainda possam ser poucas, em todas as situações houve um consentimento para a conversa, pois em nenhuma delas alguém trouxe o assunto à tona sem antes pedir para conversar em um momento adequado.

Vamos supor agora que você pediu um tempo para conversar, deixando a pessoa saber qual será o assunto da conversa. Quando o momento de conversar chegar, é hora de aplicar o REO.

Etapa 2: R significa Reconhecer.

Este passo é sobre reconhecer a realidade da situação. Aqui estão alguns exemplos de declarações de reconhecimento com tópicos variados:

  • “Eu sei que não fazemos sexo há algum tempo e não falamos sobre isso.”
  • “Eu sei que falar sobre dinheiro tem sido muito difícil para nós dois.”
  • “Eu sei que as coisas têm sido estressantes no escritório ultimamente.”
  • “Eu sei que os últimos meses foram complicados para você.”

Observe que todas essas declarações de reconhecimento começam com “Eu sei…” e continuam para validar a realidade da situação. Quando você pensa em falar com a outra pessoa sobre o que quer que você queira falar, e você a imagina respondendo dizendo algo como “sim, mas…”, o que quer que venha depois desse “mas” é provavelmente uma boa declaração de reconhecimento.

Aqui está um exemplo: seu amigo liga e diz que está se sentindo magoado porque, nos últimos meses, vocês não tem conversado muito. Você pode responder: “Sim, mas os últimos meses foram muito difíceis por causa de tudo no meu trabalho…” certo?

Mas e se ele começasse a conversa com: “Eu sei que as coisas dos últimos meses com o seu trabalho foram super difíceis”. Com essa afirmação, você imediatamente se sente validado, as defesas caem e é mais provável que você ouça o que ele têm a dizer em seguida.

Etapa 3: E significa Explicar.

É aqui que as pessoas normalmente começam as conversas. Começamos explicando o que estamos pensando e como estamos nos sentindo, e às vezes essas duas coisas se confundem. Você já ouviu alguém dizer “Eu me sinto como você”, “Eu sinto que…” ou outros pensamentos que se iniciem com “Eu sinto”.

Quando usamos a palavra “sentir”, é muito importante estar falando sobre um sentimento. Quando perguntamos a uma pessoa como ela está se sentindo, não estamos perguntando o que ela está pensando. Se seu objetivo é saber o que alguém está pensando, pergunte exatamente isso.

A etapa Explicar deve seguir esta estrutura:

  • “Eu me sinto/senti (emoção) que (situação ou ação que criou a emoção) .”

Aqui estão alguns exemplos de como isso pode se parecer:

  • “Eu me sinto mal quando não temos nenhuma forma de intimidade física.”
  • “Eu fico com medo quando você fala sobre nossa situação financeira.”
  • “Fiquei desapontado por você ter perdido o prazo na semana passada.”
  • “Eu me sinto triste e decepcionado quando você não retorna minhas ligações ou não responde minhas mensagens. Me sinto magoado quando sou o único a tentar me conectar.”

Quando nos expressamos desta forma, tiramos a culpa da pessoa enquanto ainda permitimos que ela saiba como suas ações nos afetaram.

Passo 4: O significa Oferecer.

Mesmo que consigamos expressar naturalmente nossos sentimentos e o que está ajudando a criá-los, muitas vezes deixamos por isso mesmo. É como passar o problema para a pessoa com quem estamos conversando e dizer: “OK, agora você conserta”.

Isso pode deixar a outra pessoa confusa e insegura sobre o que fazer a seguir. Mesmo a pessoa possui os sentimentos negativos pode não saber o que precisa ou o que quer em seguida, o que pode criar mais tensão e conflito. Então, como podemos evitar isso?

A pessoa que está falando precisa reservar um tempo antes de compartilhar o problema para pensar sobre o que ela quer da pessoa com quem está falando. Precisamos ajudar as pessoas com quem estamos falando a nos ajudar, e podemos fazer isso gentilmente, com a maior calma possível, usando esta estrutura e dando-lhes uma solução potencial ou pelo menos um passo na direção certa. Essa é a declaração de oferta.

Como é uma declaração de oferta? Continuando com nossos exemplos acima, pode soar assim:

  • “Eu adoraria descobrir maneiras de me conectar fisicamente com você, mesmo que não seja a partir do sexo. Como podemos fazer isso?”
  • “Me ajudaria a sentir menos medo se tivéssemos um horário marcado para falar sobre nossas finanças, então nenhum de nós precisa se preocupar em trazer isso à tona do nada. O que você acha?”
  • “Eu preciso que você seja pontual com seus prazos e se comunique comigo se precisar de ajuda. Podemos fazer um acordo?”
  • “O que eu realmente gostaria é que você entrasse em contato comigo, mesmo que uma vez por mês. Talvez até definir um lembrete em seu telefone para fazer isso. Não me importo se for um lembrete que faça você se lembrar; apensa não quero me afastar. Você acha que isso é possível?”

Observe que cada uma dessas declarações é uma afirmação seguida de uma pergunta. Não estamos tentando dizer a outra pessoa o que fazer, estamos dando a opção de algo que pode ajudar na situação da qual estamos falando. Terminar com uma pergunta dá a uma pessoa a oportunidade de dizer sim ou não e oferecer uma solução alternativa.

REO em ação.

Antes de entendermos por que essa estrutura é tão útil e como você pode implementá-la, queremos vamos organizar nossos exemplos para que você possa ver a experiência completa do REO depois de pedir um tempo para conversar.

Exemplo nº 1: Vida sexual com um parceiro

  • Reconheça: “Sei que não fazemos sexo há algum tempo e não conversamos sobre isso.”
  • Explique: “Eu me sinto desconectado quando não temos nenhuma forma de intimidade física.”
  • Oferta: “Eu adoraria descobrir maneiras de me conectar fisicamente, mesmo que não seja a partir do sexo. Como podemos fazer isso?”

Exemplo nº 2: Dinheiro (com um membro da família ou parceiro)

  • Reconheça: “Eu sei que falar sobre dinheiro tem sido muito difícil para nós dois.”
  • Explique: “Sinto medo quando você fala sobre nossa situação financeira”.
  • Oferta: “Me ajudaria a sentir menos medo se tivéssemos um horário agendado para falar sobre nossas finanças, de modo que nenhum de nós tenha que se preocupar em falar sobre isso do nada. O que você acha?”

Exemplo nº 3: Prazos no trabalho

  • Reconheça: “Eu sei que as coisas têm sido estressantes no escritório ultimamente.”
  • Explique: “Fiquei desapontado por você ter perdido o prazo na semana passada.”
  • Oferta: “Eu preciso que você seja pontual com seus prazos e comunique-se comigo se precisar de ajuda. Podemos fazer um acordo?”

Exemplo nº 4: Amizade à distância

  • Reconheça: “Eu sei que os últimos meses foram um inferno absoluto para você.”
  • Explique: “Sinto-me triste e decepcionado quando você não retorna minhas ligações ou não responde às minhas mensagens. Me sinto magoado quando sou o único a tentar me conectar.”
  • Oferta: “O que eu realmente gostaria é que você entrasse em contato comigo, mesmo que uma vez por mês. Talvez até definir um lembrete em seu telefone para fazer isso. Não me importo se for um lembrete que faça você se lembrar; apensa não quero me afastar. Você acha que isso é possível?”

Dica para usar este método pela primeira vez.

Para começar, aconselhamos compartilhar essa estrutura com a pessoa com quem você vai falar que você para expressar como está se sentindo, pensando ou suas necessidades. Você pode dizer a ela que alguém que ensina sobre comunicação escreveu um artigo sobre uma estrutura que você achou interessante e que você quer tentar usar.

Dessa forma, quando você está falando de uma forma diferente de como você normalmente fala, ela não vai interpretar isso como algo estranho, além de perceber que você está se esforçando para resolver as adversidades entre vocês.

Conclusão

A estrutura REO é benéfica tanto para a pessoa que a usa quanto para a pessoa que a recebe. Para a pessoa que está falando, às vezes pode parecer difícil transmitir seus pensamentos, sentimentos e perguntas sem ficar sobrecarregado.

Usar essa estrutura ajuda você a permanecer no caminho certo e ajuda a pessoa com quem você está falando a seguir e acompanhar o raciocínio do que você está dizendo. Além disso, a forma como isso é configurado é mais acessível para se ouvir, evitando que uma briga se inicie quando um assunto complicado necessita de uma solução.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.